• Configuração LT caracteriza-se pelas rodas de alumínio aro 16, pelas maçanetas pintadas na mesma cor da carroceria e pelo revestimento dos bancos em tecido;
  • Conjunto mecânico é idêntico ao da versão topo de linha LTZ, com motor Ecotec 1.8 16V Flex de 144 cv e transmissão automática de seis velocidades Active Select.

São Caetano do Sul – A Chevrolet está ampliando o leque de opções de acabamento para o Tracker no mercado brasileiro. A novidade é a versão LT, que chega para ser a mais acessível da gama.

Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

O modelo traz o mesmo conjunto mecânico da versão topo de linha LTZ e um pacote de equipamentos exclusivo, que reúne os itens de conforto e conveniência mais valorizados pelos consumidores dos utilitários esportivos compactos, segmento que mais cresce no país.

Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

Outra novidade da linha 2016 do Tracker é opção Roxo Plum Berry para a carroceria. Além desta, o veículo é oferecido nas cores Prata Champagne, Branco Summit, Preto Ouro Negro, Prata Switchblade e Cinza Cyber.

Completo

Externamente, o Tracker LT é caracterizado pelas rodas aro 16, além das maçanetas das portas pintadas na mesma cor da carroceria. O pacote criado exclusivamente para o mercado nacional inclui ainda faróis e lanterna de neblina e rack de teto.

Roda aro 16 do Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

Roda aro 16 do Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

Entre os itens de conforto e conveniência, destacam-se sistema multimídia com CD Player, computador de bordo, coluna de direção e banco do motorista com regulagem de altura e porta-óculos no console de teto.

Ar-condicionado, direção hidráulica e conjunto elétrico dos vidros, retrovisores e travas também fazem parte do pacote. O revestimento dos bancos é de tecido.

“Com a adição de uma versão mais acessível do Tracker, a Chevrolet passa a atender uma fatia mais ampla do mercado de utilitários esportivos compactos, que tem crescido de forma consistente”, justifica Samuel Russell, diretor de Marketing da Chevrolet.

O Tracker LT tem os mesmos atrativos dinâmicos da versão LTZ, como a elevada posição de dirigir, a boa altura em relação ao solo que permite transpor obstáculos, além de uma economia de combustível similar à de veículos médios.

O conjunto mecânico é idêntico ao da versão LTZ, com motor Ecotec 1.8 16V Flex de alta tecnologia e câmbio automático de seis velocidades.

Estilo

O Tracker tem um visual com linhas que transmitem robustez, fluidez e movimento. As caixas de rodas são bastante pronunciadas, reforçando o visual robusto. O spoiler traseiro integrado à carroceria ressalta a dinâmica do design e o excelente coeficiente de arrasto. Com 4.248 mm de comprimento, 1.776 mm de largura e 1.647 mm de altura, o Tracker oferece um excelente espaço interno. Utilizando o rack de teto é possível expandir o volume a ser transportado com suporte de até 75kg.

Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

O interior traz linhas modernas e espaço interno bastante definido, possibilitando um interior bem organizado com até oito configurações de assentos. O veículo oferece também grande disponibilidade de portas objetos, além de um porta-malas de até 735L com os bancos rebatidos. O banco traseiro oferece rebatimento 60/40. Ao se rebater o banco do passageiro dianteiro é possível acomodar objetos de até 2300 mm de comprimento.

Painel do Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

Painel do Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

Um porta luvas superior oferece fácil acesso ao motorista, além de possuir uma bandeja para acomodar o smartphone dentro daquele espaço. Há ainda uma entrada de áudio auxiliar.

Powertrain

A família de motores Ecotec reúne o que há de mais sofisticado em termos de engenharia e tecnologia. O cabeçote do motor conta com quatro válvulas por cilindro e duplo comando de válvulas continuamente variável (Dual CVVT), com variação do tempo de abertura das válvulas de admissão e de escape, e tuchos hidráulicos que compensam os desgastes dispensando a necessidade de ajustes para manutenção da performance do motor.

Para aumentar a oferta de torque o motor conta também com coletor de admissão variável, o que torna as respostas do SUV mais rápidas dentro da faixa de rotação do motor. O coletor “curto” é mais utilizado em altas rotações do motor, quando o veículo necessita de potência. Em baixas rotações, o coletor se torna “longo” privilegiando torque, mais força, saídas mais rápidas. Além disso, o sistema colabora para uma queima de combustível mais eficiente, proporcionando elevado desempenho, economia e uma menor emissão de gases poluentes.

O motor Ecotec 1.8 Flex do Tracker vai além. Tem bielas forjadas, ao invés de fundidas, que garantem menor peso e muita durabilidade. Este mesmo processo de fabricação é utilizado para bielas de motores de carros de alto desempenho.

O cabeçote (feito de alumínio, assim como o cárter) e bloco contam com galerias internas para refrigeração especialmente desenhadas, de modo que a temperatura no cabeçote seja menor, permitindo um maior avanço da ignição, o que resulta em menor consumo de combustível e maior desempenho.

A bomba d’água é montada no bloco e não é acionada pela correia dentada (sistema primário), como em motores convencionais. Ela é movida pela correia de acessórios (sistema secundário), o que facilita na hora da manutenção, melhorando o acesso ao componente.

Com toda essa tecnologia, o Ecotec 1.8 do Tracker rende 144 cv quando abastecido com etanol e 140 cv com gasolina, ambas a 6.300 rpm. O torque máximo, com etanol, é de 18,9 kgfm já aparece com 3.800 rpm. Com gasolina, o torque máximo é de 17,8 kgfm, na mesma rotação. E, além dos bons números, vale ressaltar que 90% do torque já estão disponíveis com 2.200 rpm.

A transmissão automática de seis velocidades tem a opção de mudanças no modo manual seqüencial oferecendo uma opção de esportividade.

Manopla da transmissão automática de seis velocidades do Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

Manopla da transmissão automática de seis velocidades do Chevrolet Tracker LT. Foto: Divulgação.

A transmissão se adapta ao estilo de condução do motorista, e comparando a velocidade da roda e do eixo de entrada da transmissão, ela identifica quando o veículo está em subida mantendo uma marcha mais reduzida e maior oferta de torque, o que resulta em mais força para ultrapassagens e controle do veículo.

O mesmo ocorre em uma descida, situação em que a transmissão reduz as marchas de forma a aumentar a sensação de controle do veículo, além de reduzir o desgaste dos freios, sem prejuízo ao consumo de combustível.

Segurança

A robustez de seu projeto estrutural faz do Tracker um dos mais seguros SUVs, com os freios ABS de quatro canais, com distribuição eletrônica da força de frenagem, e assistente de frenagem em caso de pânico, que reduz a distância para frenagem.

O Tracker utiliza arquitetura global com elevada rigidez estrutural, o que concede ao veículo muita estabilidade, segurança, e menores índices de ruído e vibração, tornando a condução muito confortável e que surpreende ao dirigir.

O modelo pode ser equipado com até seis airbags – sendo dois dianteiros, dois laterais e dois de cortina. Já itens como cintos de segurança de três pontos em todas as cinco posições de assento, sistemas de ancoragem ISOFIX para assentos para crianças são de série em todas as versões.