Pouco depois de ser lançado na Argentina, o totalmente reformulado SW4 desembarca em solo tupiniquim. Produzido ao lado da Hilux em Zárate, o utilitário esportivo segue a irmã no que diz respeito à mecânica, apesar de, ao contrário dela, oferecer um motor V6 a gasolina. Em termos estéticos, ele é completamente diferente, adotando um perfil diferenciado também por dentro. Seus preços oscilam entre R$ 205 mil e R$ 225 mil.

Toyota SW4. Foto: Divulgação.

Toyota SW4. Foto: Divulgação.

Derivado da Hilux, o SW4 repete a plataforma da irmã: ele usa a arquitetura TNGA (Toyota New Global Architecture), mantendo a construção sobre chassi. Com ela, o SUV cresceu 9 cm em comprimento (4,80 metros) e 1,5 cm em largura (1,86 m), perdendo 1,5 cm de altura (1,84 m) e 0,5 cm de entre-eixos (2,75 m). Da picape também vieram a nova transmissão automática de seis marchas que se adapta às condições de rodagem (estilo de direção, inclinação do terreno, carga transportada etc), a tração nas quatro rodas com reduzida e bloqueio do diferencial traseiro e o motor 2.8 a diesel de 177 cv (3.400 rpm) e 45,9 kgfm de torque (1.600 rpm) é outra herança. Com exclusividade, o SUV oferece o propulsor 4.0 V6 a gasolina de 238 cv (5.200 rpm) e 38,3 kgfm (3.800 rpm).

Toyota SW4. Foto: Divulgação.

Toyota SW4. Foto: Divulgação.

Em termos estéticos, a receita seguida pela Toyota foi de deixar o SUV mais refinado. Assim, há faróis com canhões de luz, LED para iluminação diurna e lanternas e vários componentes cromados, entre eles a grade, os frisos que envolvem as neblinas e as molduras das janelas. Os conjuntos ópticos dianteiros e traseiros rasgados e a “quebra” na linha inferior dos vidros são algumas das soluções adotadas para deixar o SW4 mais arrojado. Internamente, ele se diferencia pelo painel mais elaborado, com diferentes materiais aplicados, incluindo couro e imitação de madeira no volante e no console. O quadro de instrumentos e os difusores de ar também são próprios, repetindo-se os botões do ar-condicionado, a tela da central multimídia e o seletor de tração, embora em posição diferenciada no utilitário.

De início, o SW4 será vendido apenas no acabamento SRX. Ele sai de fábrica com controles de tração ativo (A-TRC) e estabilidade (VSC), auxílio de partida em rampa (HAC) e descida (DAC), assistente de reboque (TSC), sete airbags (inclui um para os joelhos do motorista), sensor de presença da chave para ligar o motor por botão ou travar/destravar as portas e tomada de 220 volts para recarregar equipamentos portáteis. Ele conta ainda com bancos em couro, visor colorido de 4,2 polegadas no quadro de instrumentos, volante multifuncional, controlador de velocidade, ancoragem Isofix para cadeiras infantis e sistema multimídia com tela sensível ao toque de sete polegadas, navegador por GPS, TV digital, Buetooth e seis alto-falantes.

Assim, o comprador terá apenas que escolher o número de lugares, cinco ou sete assentos (o V6 sai sempre com sete), e a cor: pode ser branca Polar, branca Pérola, preta, marrom, cinza escura, prata ou preta.

Confira as versões e os preços do Toyota SW4 2016:

  • SRX 4.0 V6 7L: R$ 205.000;
  • SRX 2.8 TDI 5L: R$ 220.000;
  • SRX 2.8 TDI 7L: R$ 225.000.