A Volkswagen cumpriu com a promessa de apresentar uma nova van conceito na CES 2016, feira internacional de eletrônicos, que acontece em Las Vegas, nos EUA. O modelo, ainda conceitual, recebeu o nome de BUDD-e e é construído sobre uma nova plataforma modular chamada de MET (Modular Electronic Toolkit).

Volkswagen BUDD-e. Foto: Divulgação.

Volkswagen BUDD-e. Foto: Divulgação.

Foram, portanto, duas novidades, uma esperada e a outra um tanto quanto surpreendente, já que a marca alemã vinha investindo prioritariamente em sua plataforma MQB (Modularer Querbaukasten, alemão para Matriz Modular Transversal) e utilizar uma nova estrutura para o modelo era algo totalmente inesperado. A justificativa da Volkswagen para a mudança de rumo é de que a nova plataforma, MET, fora desenvolvida especificamente para servir aos veículos plug-in da marca, no entanto, a MQB já foi utilizada com sucesso para essa mesma finalidade.

Outra grande inovação trazida pelo modelo é a rapidez com que seu conjunto de baterias (de 101 kWh) pode ser recarregado. Para se ter uma ideia, pode-se alcançar 80% da carga em apenas 15 minutos de conexão. Isso representa um avanço enorme no universo dos carros elétricos, pois é significativamente mais rápido tendo em vista a elevada capacidade do conjunto. No entanto, vale mencionar que se faz necessário o uso de um carregador especial para atingir tal feito.

O conjunto de baterias fica localizado na base da van e fornece energia para dois motores elétricos, um em cada eixo, fato que torna o BUDD-e um veículo com tração nas quatro rodas e com capacidade para atingir a velocidade máxima de, aproximadamente, 150 km/h. A autonomia do modelo ficou em torno dos 600 km, quando foi submetido ao novo ciclo padrão de condução europeu.

Como esperado de um modelo conceito plug-in, o BUDD-e dispõe de tecnologias inteligentes. O veículo pode ser utilizado como uma unidade dedicada de energia auxiliar destinada a alimentar uma residência e também é capaz  de se comunicar, de maneira sem fios, com uma casa ou escritório inteligente. A maioria de nós ainda não possui tais recursos, portanto, esse é um dos benefícios que não podem ser tangíveis na atualidade.

Do ponto de vista do design, o modelo combina um corpo “retrô” com as particularidades de uma van em linhas modernas e um pacote condensado. Os retrovisores laterais, por exemplo, foram substituídos por câmeras de alta resolução e, devido a uma operação eletrônica das portas, as maçanetas também foram dispensadas.

No interior, o BUDD-e conta com um layout moderno e telas sensíveis ao toque no lugar dos botões e mostradores analógicos. A exemplo do exterior sem maçanetas, os passageiros podem abrir as portas sem a necessidade de puxar as tradicionais alavancas, já que esse e alguns outros comandos do veículo são gerenciados por um avançado sistema de gestos.

Mas, nem tudo são flores, o Volkswagen BUDD-e não deverá ser comercializado tão cedo e toda a tecnologia  apresentada pelo modelo está alguns anos distante da efetiva produção, isso é, se ela chegar um dia a ser produzida da forma como foi apresentada. De todo modo, alguns dizem que a van conceito servirá de inspiração para um modelo de produção com lançamento programado para o ano de 2017, mas ainda não há nenhuma confirmação oficial por parte da montadora.