Muitos ignoram e outros simplesmente ainda desconhecem o assunto, mas saber o tipo certo de pneu para seu veículo é algo obrigatório para todo motorista. Isso ajuda a economizar com manutenção, prolongar sua vida útil e identificar o tempo certo de sua substituição.

Ao comprar um novo veículo é indispensável ao motorista perder alguns minutos lendo o manual do proprietário, evitando assim contratempos, pois nele consta a pressão correta, o controle periódico do alinhamento e do balanceamento e os tipos e tamanhos mais adequados ao modelo em questão. Quanto ao último item e considerado um dos mais importantes, colocar o tipo de certo de pneu para o uso em questão, seja on-road (uso em asfalto), off-road (uso em estradas de terra e lama) ou misto (para ambos os pavimentos), garante a segurança dos ocupantes, além de aumentar a durabilidade do produto.

Um pneu off-road em um utilitário que sempre roda na estrada pode levar ruídos constantes a cabine, superaquecimento e desgaste irregular. Já o contrário, ou seja, colocar um pneu de uso on-road ou misto em um veículo que roda mais tempo em trilhas de terra, pode acarretar danos sérios na banda de rodagem e levar a desestabilização.

E se você ainda tem dificuldade em identificar os tipos de pneus basta seguir as orientações a seguir:

Pneus para uso off-road – Possuem a banda de rodagem com mais espaço, sulcos mais largos e reforço na carcaça.

Pneus para uso on-road – Possuem sulcos menores que aumentam a área de contato com o solo.

Pneus para uso misto – Possuem características dos dois tipos acima e buscam o meio termo entre asfalto e terra, sem comprometer muito o uso entre os dois.

Pneus de alta performance – Possuem desenhos assimétricos nas bandas de rodagem para maior aderência ao solo e possibilita o uso tanto em dias chuvosos quanto em secos.

Fora os tipos tradicionais, no mercado agora também estão presentes os pneus do tipo “verde” (geralmente de uso misto), construídos com materiais mais leves, menos ruidosos e com menos resistência ao rolamento, o que afeta diretamente o consumo de combustível.

Entendendo as marcações

Todo pneu vem com um código de identificação – espécie de RG do veículo – e muitos motoristas ainda possuem grande dificuldade de entendê-lo. Nele consta o tamanho, a largura, a altura, o raio da roda, velocidade máxima, capacidade de carga e pressão admitida.

Um pneu com código P175/70 R14 86V, por exemplo, apresenta as seguintes características:

P = indica o tipo de pneu – no caso ele é de “passeio”

175/70 = indica o tamanho do pneu. O primeiro número corresponde largura da banda de rodagem em milímetros e o segundo a altura – no caso 70% da largura banda de rodagem (122 milímetros)

R14 = o número corresponde ao diâmetro da roda em polegadas.

86V = o número informa quanto de peso seu pneu suporta e a letra indica o índice de velocidade –  no caso 240 km/h

A hora correta da manutenção dos pneus

Fora conhecer o tipo correto de pneu e suas características, há ainda a necessidade de os motoristas saberem o tempo certo de manutenção. Não basta apenas olhar se o item está careca e sim sempre verificar o manual do proprietário para manter o nível de pressão e acompanhar a quilometragem indicada para realizar o alinhamento, balanceamento e calibragem do veículo.

Uma dica extremamente importante é deixar de lado o velho hábito de alinhar o veículo apenas na hora da troca os pneus. Situações do dia-a-dia, como esbarrões em guias (meio fio) e passar sobre buracos ajudam a desalinhar a direção, aumentando de forma acentuada o desgaste dos pneus, o que reflete até mesmo no consumo.

Especialistas indicam o alinhamento a cada 5 mil quilômetros rodados e que o procedimento seja realizado junto ao rodízio dos pneus ou seja, colocar os dois da frente atrás e vice-versa. Já o balanceamento é indicado apenas quando há trepidações em velocidades altas (acima de 90 km/h) e ao se realizar a troca.

Na hora troca evite os pneus remoldados

No mercado, atualmente várias empresas oferecem a opção dos pneus remoldados e fazem diversas propagandas positivas sobre eles. Na verdade, eles são reformados com partes usadas de outros pneus e não há garantias, pois os próprios fabricantes ou até mesmo o poder público não possuem programas para testar a qualidade das unidades colocadas à venda. Até mesmo o prazo de validade é desconhecido dos próprios fornecedores e ele nunca vem informado na hora da compra, já que é impossível saber o tempo de duração do item.

Se chegou a hora de substituir os pneus do seu veículo, evite comprar opções recauchutadas e busque sempre um item novo. Apesar de custarem metade do preço, eles definitivamente possuem vida útil menor e não apresentam a mesma segurança de uma opção nova. E a economia no final acaba “caindo por terra”, pois devido à baixa qualidade podem provocar o aumento do consumo de combustível, forçar a estrutura do veículo e comprometer até mesmo a suspensão acarretando gasto com peças e oficina.

Por isso tudo, por mais que façam ótimas propagandas dessas opções recauchutadas, no final o que está em jogo é a sua segurança e de quem utiliza o veículo junto com você.

E se você entendeu o recado, mas ainda não encontrou o pneu certo para seu veículo o pessoal da KDpneus pode te ajudar na escolha da melhor opção. No website da empresa você encontra o pneu certo para seu carro, contando com bons preços e ótimo atendimento.