O Hyundai i30 2016 já está pronto e seu lançamento aconteceu no Salão do Automóvel de Chicago, nos EUA. Após muita especulação sobre os rumos do modelo, a montadora resolveu apostar em novidades mecânicas, novos itens de série, mudanças no design do carro e principalmente na economia de combustível, um dos pontos fracos do hatch anterior.

Hyundai Elantra GT 2016. Foto: Divulgação.

Hyundai Elantra GT 2016. Foto: Divulgação.

Hyundai Elantra GT 2016. Foto: Divulgação.

Hyundai Elantra GT 2016. Foto: Divulgação.

Sobre as novidades, o Hyundai i30 2016 ganhou novas opções de cores externas, rodas de liga leve aro 17 com desenho totalmente renovado (que a Hyundai chama de “euroflange”), novos para-choques e nova grade frontal. As mudanças não foram tão radicais, mas o suficiente para dar uma boa incrementada no visual do modelo da montadora sul-coreana.

Internamente, o novo i30 2016 ganhou acabamento mais sofisticado, ou seja, foram usados materiais de melhor qualidade, a fim de garantir uma melhor experiência para motorista e passageiros. No quesito itens de série, o hatch manteve o sistema de aquecimento e o sistema multimídia, mas ganhou bancos dianteiros ventilados.

Painel do Hyundai Elantra GT 2016. Foto: Divulgação.

Painel do Hyundai Elantra GT 2016. Foto: Divulgação.

Sobre a parte mecânica do novo Hyundai i30 2016, o mesmo é equipado com o motor 2.0 litros Nu GDi de 173 cv de potência disponível em conjunto com transmissão automática “Shiftronic” de dupla embreagem ou manual de seis velocidades. Os primeiros testes com o motor, feitos pela agência norte-americana EPA (Enviromental Protection Agency), revelam um consumo aproximado de 10,2 km/l na cidade, 14 km/l na estrada e 11,5 km/l em trajeto misto.

Motor 2.0 litros Nu GDi do Hyundai Elantra GT 2016. Foto: Divulgação.

Motor 2.0 litros Nu GDi do Hyundai Elantra GT 2016. Foto: Divulgação.

Uma curiosidade sobre o Hyundai i30 2016 é que nos Estados Unidos, o modelo recebe o nome de Elantra GT. No Brasil, a expectativa é de que o modelo siga os padrões norte-americanos, sendo, portanto, bem semelhante ao descrito neste artigo.