Produzido exclusivamente para o continente europeu, o novo Pulsar, foi apresentado pela Nissan. Com a difícil missão de disputar a preferência dos consumidores com o poderoso Volkswagen Golf, o hatch japonês conta com novidades em seu visual.

A mudança de estilo do Nissan Pulsar tem como base a temática já presente nos novos Murano e QASHQAI, onde os faróis com luzes diurnas integradas na forma de L são os maiores exemplos dessa renovação. Os demais detalhes do carro o colocam em igualdade de visual com o Tiida (modelo esse que já está à venda em diversos países).

A lateral dispõe de uma linha de cintura em ascensão que vai até a traseira. Parte essa do novo Pulsar que lembra bastante o QASHQAI. A coluna C conta com um desenho mais ousado, dando ao hatch uma pegada mais esportiva.

A traseira, como já foi dito, é bastante semelhante a do novo QASHQAI, no entanto as lanternas grandes possuem um formato bastante parecido com o presente no Ford Focus Sedan.

Sobre as dimensões do Nissan Pulsar, o mesmo possui 2,7 m de distância entre eixos e 4,38 m de comprimento. Isso garante um espaço interno capaz de oferecer conforto aos ocupantes do modelo. Ainda em relação às medidas do hatch, é importante frisar que o mesmo é 115 mm mais longo que o seu principal rival, o Volkswagen Golf.

A parte mecânica é formada pelos propulsores 1.2 DIG-T movido a gasolina que é capaz de gerar 115 cv de potência e o 1.5 dCi a diesel que fornece 110 cv de potência. Especula-se que um propulsor de 190 cv de potência será apresentado meses após o lançamento do novo Pulsar (na versão NISMO).

A transmissão do novo Nissan Pulsar pode ser automática continuamente variável XTronic ou manual de seis marchas.

Sobre os itens tecnológicos, podemos destacar a visão superior que facilita manobras de estacionamento, alerta de ponto cego, freios de cidade automáticos e os sensores de estacionamento traseiro.

A produção do novo Pulsar iniciará de forma cautelosa, uma vez que a Nissan pretende investir de acordo com a rentabilidade. Assim que o hatch for ganhando espaço, o número de unidades produzidas deve começar a aumentar.