De volta ao Brasil após alguns meses, o Honda CR-V 2014 chega ao mercado dispondo de algumas novidades e também de alguns componentes já conhecidos pelos consumidores, como, por exemplo, o motor 2.0 Flex (o mesmo que equipa do novo Civic), entre outros.

Em relação às mudanças, a versão LX (de entrada) agora conta com sistema Bluetooth, onde o motorista poderá atender a chamadas telefônicas sem a necessidade de manuseio do celular e de tirar as mãos do volante. O modelo mais básico do CR-V também vem equipado com alarme ultrassônico.

A versão EX (intermediária) traz câmbio automático e tração frontal, vale lembrar que essa configuração é uma das novidades da nova CR-V, uma vez que o modelo passado não possuía essa opção.

O modelo top de linha do Honda CR-V, o EXL, contará com todos os itens já citados, além de tração integral, alarme ultrassônico e chave canivete (também presente na versão de entrada LX).

Com três anos de garantia e sem limite de quilometragem, o CR-V 2014 já está a venda nas concessionárias da Honda desde o mês de maio desse ano. Disponível nas cores Branco Tafettá (sólida), Cinza Paladium (metálica), Cinza Titanium (metálica), Prata Global (metálica) e Preto Cristal (perolizada), o modelo está custando R$ 114.900 na versão EXL 4×4 e R$ 98.900 na versão LX 4×2. Lembrando que esse valor inclui a pintura perolizada ou metálica e o frete.

Mesmo com todas essas novidades, com certeza o motor é o maior atrativo do lançamento da montadora japonesa. Sendo um 2.0 I-VTEC Flex, o propulsor do novo CR-V é capaz de gerar 150 cv de potência quando está abastecido com gasolina e 155 cv de potência com etanol, conseguindo assim alcançar o torque máximo de 19,5 kgfm a 4.800 rpm (etanol).

O novo motor ainda dispensa o famoso “tanquinho”, ou seja, aquele subtanque de gasolina usado para as partidas a frio, isso por que o propulsor dispõe de aquecedores na linha de injeção. A transmissão continua sendo automática de cinco marchas e ainda conta com o sistema paddle-shift (usado nas trocas sequenciais).

O tanque de combustível também foi alterado, passando agora para 71 litros (antes eram 57 litros), essa mudança dará mais autonomia ao carro quando o mesmo estiver sendo utilizado com etanol.

Vale lembrar que o Honda CR-V 2014 continua sendo importado do México, no entanto o limite de cotas de importação permitirá a montadora japonesa trazer um número menor de carros para o Brasil, sendo assim a ideia da marca é de vender 700 unidades por mês (número esse bastante inferior as 2 mil unidades que eram vendidas antes da limitação das cotas).