Se o preço era o motivo que afastava o Fiat 500C dos consumidores, esse empecilho não existe mais, isso por que a montadora italiana resolveu mudar a “nacionalidade” do seu compacto. Agora, ao invés de ser importado da Polônia (com uma alíquota de 35%), o modelo vem do México (sem imposto de importação), por isso seu valor caiu bastante, tornando-se assim mais acessível ao bolso dos brasileiros.

A parte externa não sofreu grandes reformulações em relação ao design, no entanto o fato de o mesmo agora ser também conversível, coloca o modelo entre as promessas para a temporada. É claro que o carro não é uma super máquina, mas quebra um galhão no dia a dia.

O interior está mais moderno, uma vez que o carro ganhou novos equipamentos e um acabamento feito com materiais melhores. O ponto negativo mais uma vez fica por conta do espaço interno, já que o banco traseiro serve apenas para “figuração”, uma vez que o mesmo é bastante desconfortável.

Em relação aos itens de série, na minha opinião foi onde o carro mais evoluiu, isso por que o modelo agora conta com faróis com regulagem de altura, sensor de estacionamento, direção com assistência elétrica, piloto automático, sistema de auxilio de partida em rampa, controles de tração (ASR) e estabilidade (ESP), freios ABS com assistência hidráulica (BAS) e distribuição eletrônica de frenagem (EBD), airbags laterais e frontais, travas elétricas, retrovisores, vidros e ar-condicionado.

Para deixar o Fiat 500C ainda mais completo, o consumidor poderá adicionar o Kit Cabrio I, onde são incluídos sistema de som premium da marca Bose, bancos em couro, rodas de 16 polegadas, sistema de conectividade Blue & Me e ar-condicionado virtual. O Kit Cabrio II que dispõe de todos equipamentos do I adicionando teto na cor vermelha e o Kit Safety que adiciona airbags para o joelho do motorista e também de cortina (são 7 bolsas ao total). Esse pacote custa R$ 1.414.

O motor não é dos mais potentes, no entanto o mesmo se esforça para entregar ao motorista o máximo de potência possível. Com um propulsor 1.4 Multiair 16 V capaz de gerar 105 cv de potência, o Fiat 500 Cabrio faz cerca de 11 km/l (o teste foi feito em um misto de estrada e cidade).

A parte mecânica só é comprometida por causa do câmbio automático de 6 velocidades, uma vez que o mesmo segura demais a marcha e acaba por dar um tranco a cada passagem. Utilizar o câmbio manual pode ser menos cômodo, mas ameniza a rispidez das trocas.

Quando era importado da Polônia, o Fiat 500 em sua versão de entrada custava cerca de R$ 62.870, com a mudança de país, esse valor caiu para R$ 42.840. Para termos noção dessa redução, o que antes era cobrado pela versão mais básica do modelo, agora é cobrada na versão completa do mesmo.

A versão completa do 500 chega próxima aos R$ 67 mil, no entanto se formos analisar seu concorrente direto, o Smart ForTwo Cabrio, que custa R$ 72.500 e possui menos equipamentos, vemos que o modelo da Fiat possui um bom custo-benefício.