1 – Muita Vibração

(Vibração em excesso é quase sempre um sinal de que algo não está correto.)

Há um limite para as vibrações quando se está dirigindo, especialmente quando a estrada está mal cuidada. Mas se você dirige com frequência, provavelmente sabe quando a vibração do pneu está prejudicando seu automóvel. Há diversos motivos que fariam o seu carro vibrar em demasia – talvez seja o pneu desalinhado e/ou desbalanceado, ou os amortecedores já passaram do tempo. Mas a vibração também pode indicar que há algum tipo de problema interno no próprio pneu. Mesmo que o pneu não seja a causa da vibração, ela poderá danificá-lo e o problema aparecerá em breve. Portanto, se seu carro possui problemas com vibrações, mesmo que seja em estradas ruins, leve-o ao mecânico de imediato para que seja feito uma revisão, pois vibração é um sinal ruim na maioria das vezes.

2 – Saliências e bolhas no pneu

(Saliência ou bolha no pneu pode levar a uma explosão.)

Às vezes temos um desgaste na superfície externa do pneu, e o resultado pode ser o aparecimento de bolhas ou protuberâncias que se estendem ao resto da superfície. Imagine um aneurisma em um dos vasos sanguíneos. O que você faria? Correria para o hospital pois corre o risco dessa veia/artéria estourar, não? Com o pneu acontece o mesmo. Qualquer pancada neste ponto fraco pode fazer com que o pneu exploda instantaneamente, e se você não colocá-lo para um reparo rápido, pode ganhar uma passagem de ida para o hospital. Então, mantenha a atenção a esses detalhes.





3 – Rachaduras na parte externa

(Pneu rachado e desgastado nas extremidades é um péssimo sinal.)

Nem todos os problemas nos pneus são na banda de rodagem. Eles também podem aparecer nas extremidades. Felizmente, é fácil de fazer uma verificação visual dos problemas. Procure por faixas ou cortes na lateral – ranhuras que são distintas o suficiente para serem visíveis a olho nu. Estes poderiam ser sinais de que seu pneu está desenvolvendo um vazamento (ou pior, ele pode estar quase pronto para explodir). Isto é, definitivamente, algo que você gostaria de evitar, não é mesmo? Portanto, se as rachaduras na parede lateral estão começando a parecer, leve o carro à oficina mais próxima e pode começar a pensar em substituí-lo. Melhor prevenir do que remediar, como dizem.

4 – A barra indicadora de desgaste na banda de rodagem

(Quando vemos um amontoado de borracha indo perpendicularmente em direção à banda de rodagem, isso indica que você precisa de pneus novos.)

Os pneus novos possuem uma tecnologia que os antigos não possuíam: a barra indicadora de desgaste na banda de rodagem, construída em seu interior, que são quase visíveis quando os pneus estão novos mas vão aparecendo na medida em que os pneus se desgastam. Elas surgem no formato de uma barra de borracha em direção perpendicular à banda de rodagem.

Caso mais de uma dessas barras fiquem à mostra, significa que a borracha do pneu está ficando baixa, o que deixa o carro mais propenso a aquaplanagem. Se a barra estiver aparecendo nitidamente em um ou todos os pneus, dê uma atenção especial. Leve ao mecânico ou revendedor de pneus de sua confiança para substituí-los.

5 – Dom Pedro I e a banda de rodagem

(Quanto você ainda tem da banda de rodagem? Basta uma moeda de 10 centavos com a figura de D. Pedro I)

Você nunca deve deixar a banda de rodagem ficar abaixo de 1/16 polegadas (1.6mm) de profundidade. Se você dirige regularmente com ele liso e em superfícies molhadas, a contagem dessa medida é de 3.2mm.

Há duas formas para realizar o teste de milimetragem da banda de rodagem de seus pneus:

 – Comprando um medidor profissional

 – Utilizando um velho truque que dará uma medida aproximada da profundidade que não custará mais do que uma moeda de 10 centavos: coloque a moeda com a cabeça de Dom Pedro I virada pra baixo. Se a cabeça dele permanecer visível, você precisa trocar seu pneu. Leve o carro ao mecânico e peça por um conjunto de pneus.

Fonte: Liqui Pneus